"Não há arte que ensine a ler no rosto as feições da alma." William Shakespeare

A Raposa e o Corvo

O Corvo apanhou um queijo, fugiu com ele e pousou sobre uma árvore.

A Raposa viu-o e desejou comer o seu queijo.

Pondo-se ao pé da árvore, começou a dizer ao Corvo:

- Por certo que és formoso e gentil-homem, e poucos pássaros há que te ganhem. Tu és bem disposto e muito galante. Se me quiseres mostrar a tua linda voz, nenhuma ave se comparará contigo.

Soberbo o Corvo destes elogios e, desejando agradar-lhe, levanta o pescoço para cantar; porém, abrindo a boca, caiu-lhe o queijo. A Raposa tomou-o e foi-se, ficando o Corvo faminto e raivoso da sua própria ignorância.

Comentários   

-1 #1 margarida 09-11-2010 17:24
que tipo de estoria e esta se nao a tras completa.
:sad:
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

SBPNL

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso

Depoimentos dos Visitantes