"Aprendo com as minhas mãos, com os meus olhos e com a minha pele o que nunca consigo aprender com o meu cérebro." M. C. Richards

Você sabe se comunicar de forma eficaz?

Esse é um tema que me dá grande prazer de escrever. Afinal, a vida é o maior exercício para o aprimoramento da nossa comunicação.
Dentro da minha compreensão, essa habilidade pode facilitar e impulsionar o sucesso ou fracasso na vida pessoal e profissional.
A comunicação, como a própria estrutura da palavra já demonstra, pressupõe um processo que é muito diferente do que simplesmente transmitir uma informação e pronto!
Como se num passo de mágica tudo se torna claro e óbvio para o interlocutor. Se esse processo não for trabalhado de forma adequada, isso estará longe de acontecer.
Hoje, o profissional é avaliado por essa competência sem ao menos ter sido preparado para desenvolvê-la. Afinal, o ato de falar pouco garante a eficácia da comunicação.
Uma comunicação eficaz significa chegar ao objetivo utilizando o melhor da sua forma de se expressar, lembrando que todo o seu ser representa a sua expressão, além das palavras que possuem um poder significativo.
Para aprimorar a sua comunicação, principalmente no ambiente corporativo, é fundamental estabelecer como e o quê você deseja transmitir, considerando as características e forma de pensar da pessoa que receberá as informações.
Muitas vezes comunicamos algo, supondo que a pessoa entenderá automaticamente. E então, talvez, esteja o principal aspecto da falta de compreensão.
O comunicador eficaz constrói formas efetivas das pessoas compreenderem o que ele quer. Mas para isso, é importante desenvolver uma alta flexibilidade para transmitir a mensagem de acordo com cada pessoa, afinal a responsabilidade pelo sucesso da comunicação é do locutor.
Assumir a responsabilidade por essa atividade é um quesito valioso para mensurar a maturidade profissional e também desenvolver novas formas de comunicar que gere resultados.
Para que sua comunicação proporcione o resultado desejado, informe o que você quer e espera de seu colaborador, par e reporte. Nesse contexto profissional, o tempo é valioso e quem diz o que quer economiza muito bem o tempo.
Outro fator que influencia a comunicação é saber o que une a outra pessoa, o que chamamos de meta-objetivo. Saber o que vocês têm em comum aumenta a chance de desenvolver a comunicação voltada para uma aliança. Exemplo: O seu colaborador e você tem objetivos em comum como aumentar os resultados da área, ter uma ambiente satisfatório, terganhos financeiros através de um excelente bônus.
Comunicar algo se torna muito promissor, principalmente quando temos um conflito e precisamos assegurar o que foi estabelecido. Dessa forma, a aliança é reforçada, facilitando o bom entendimento de diversos temas que envolvem o dia-a-dia.
Exemplo: Você tem um funcionário que chega sempre atrasado e isso impacta no resultado de suas atividades. É preciso iniciar a conversa destacando que o grande objetivo de vocês é gerar resultados e com isso ter uma evolução profissional. Entretanto, torna-se importante cumprir horários para que também produza excelentes resultados.
Atuar com pessoas que você estabelece uma relação profissional, mantendo como foco um meta-objetivo, torna a comunicação muito mais produtiva.
Prestar a atenção no interlocutor é de extrema importância porque é ele que detém todas as informações para que a dinâmica da interação aconteça com sucesso. Quanto mais você concentrar a atenção para quem está a sua frente, maiores serão as chances de obter sucesso.
As pessoas são diferentes e podemos utilizar alguns dados para perceber essas diferenças e utilizá-las. Todos nós absorvemos as experiências através dos nossos canais de percepção: Visual, Auditivo, Olfativo, Tato e Gustativo e através da Programação Neurolinguística (PNL) é possível atuar com todos os sentidos.
Quando identificamos esses canais, a comunicação acontece de forma mais eficaz proporcionando uma sensação de compreensão e envolvimento. Isso ocorre porque gostamos de semelhanças, fator que também conhecemos por empatia.
Esse é um tema que me dá grande prazer de escrever. Afinal, a vida é o maior exercício para o aprimoramento da nossa comunicação. Dentro da minha compreensão, essa habilidade pode facilitar e impulsionar o sucesso ou fracasso na vida pessoal e profissional.

A comunicação, como a própria estrutura da palavra já demonstra, pressupõe um processo que é muito diferente do que simplesmente transmitir uma informação e pronto!

Como se num passo de mágica tudo se torna claro e óbvio para o interlocutor. Se esse processo não for trabalhado de forma adequada, isso estará longe de acontecer. Hoje, o profissional é avaliado por essa competência sem ao menos ter sido preparado para desenvolvê-la. Afinal, o ato de falar pouco garante a eficácia da comunicação.Uma comunicação eficaz significa chegar ao objetivo utilizando o melhor da sua forma de se expressar, lembrando que todo o seu ser representa a sua expressão, além das palavras que possuem um poder significativo.Para aprimorar a sua comunicação, principalmente no ambiente corporativo, é fundamental estabelecer como e o quê você deseja transmitir, considerando as características e forma de pensar da pessoa que receberá as informações.

Muitas vezes comunicamos algo, supondo que a pessoa entenderá automaticamente. E então, talvez, esteja o principal aspecto da falta de compreensão.

O comunicador eficaz constrói formas efetivas das pessoas compreenderem o que ele quer. Mas para isso, é importante desenvolver uma alta flexibilidade para transmitir a mensagem de acordo com cada pessoa, afinal a responsabilidade pelo sucesso da comunicação é do locutor.

Assumir a responsabilidade por essa atividade é um quesito valioso para mensurar a maturidade profissional e também desenvolver novas formas de comunicar que gere resultados.

Para que sua comunicação proporcione o resultado desejado, informe o que você quer e espera de seu colaborador, par e reporte. Nesse contexto profissional, o tempo é valioso e quem diz o que quer economiza muito bem o tempo. Outro fator que influencia a comunicação é saber o que une a outra pessoa, o que chamamos de meta-objetivo.

Saber o que vocês têm em comum aumenta a chance de desenvolver a comunicação voltada para uma aliança.

Exemplo: O seu colaborador e você tem objetivos em comum como aumentar os resultados da área, ter uma ambiente satisfatório, terganhos financeiros através de um excelente bônus.Comunicar algo se torna muito promissor, principalmente quando temos um conflito e precisamos assegurar o que foi estabelecido. Dessa forma, a aliança é reforçada, facilitando o bom entendimento de diversos temas que envolvem o dia-a-dia. Exemplo:

Você tem um funcionário que chega sempre atrasado e isso impacta no resultado de suas atividades. É preciso iniciar a conversa destacando que o grande objetivo de vocês é gerar resultados e com isso ter uma evolução profissional.

Entretanto, torna-se importante cumprir horários para que também produza excelentes resultados.Atuar com pessoas que você estabelece uma relação profissional, mantendo como foco um meta-objetivo, torna a comunicação muito mais produtiva.

Prestar a atenção no interlocutor é de extrema importância porque é ele que detém todas as informações para que a dinâmica da interação aconteça com sucesso. Quanto mais você concentrar a atenção para quem está a sua frente, maiores serão as chances de obter sucesso.

As pessoas são diferentes e podemos utilizar alguns dados para perceber essas diferenças e utilizá-las. Todos nós absorvemos as experiências através dos nossos canais de percepção: Visual, Auditivo, Olfativo, Tato e Gustativo e através da Programação Neurolinguística (PNL) é possível atuar com todos os sentidos.

Quando identificamos esses canais, a comunicação acontece de forma mais eficaz proporcionando uma sensação de compreensão e envolvimento. Isso ocorre porque gostamos de semelhanças, fator que também conhecemos por empatia.

Sobre a Autora:

Dra. Márcia Dolores Resende, formada em psicologia e com formação completa em PNL (NLP Health Certification Training), Hipnose Ericksoniana e EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), sendo treinada por profissionais que possuem uma grande experiência e um conceituado trabalho como: Robert Dilts, Suzi Smith, Tim Halbom, Steve Andreas, Teresa Robles e Dr. Stephen Gilligan.

 
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso

Depoimentos dos Visitantes