"Aprendo com as minhas mãos, com os meus olhos e com a minha pele o que nunca consigo aprender com o meu cérebro." M. C. Richards

O bom humor e seus encantos para a vida

Estava lendo uma matéria de capa da “Isto É” que fala de como livrar-se do mau humor.
Os efeitos do mau humor a curto, médio e longo prazo são bastante nocivos, por isto, vale a pena ter sempre a capacidade de manter o bom humor. Invariavelmente temos muitos estímulos para manter o bom humor quando podemos mudar nossa forma de pensar.
Uma colocação valiosa na matéria diz que admitir o mau humor para modificar o comportamento é importante, e saber o que se quer sempre será um auxílio, principalmente quando pensamos em mudar a forma de pensar e consequentemente transformamos nosso cérebro.
O mau humor traz impactos ao nosso sistema neurológico que podem limitar nossas atividades cotidianas. Entenda situações estruturais que são alteradas quando você está de mau humor:
• Quando seu organismo recebe algum sinal que considera uma “ameaça” ao seu bem estar, é acionada a amígdala que pode comprometer  o bem estar e a segurança para lidar com o imprevisível.
• É estimulada estrutura que faz a ligação entre o sistema nervoso e o sistema endocrinológico (hipotálamo), o que pode disparar a fabricação de hormônios como adrenalina e cortisol, aumentando o grau de estresse e deixando seu organismo em estado de alerta, fazendo com que danos sejam causados.
Diante destas reações, nosso cérebro trabalha de forma a limitar reações positivas diante de situações que poderiam ser produtivas. É considerável ter em mente que se a estrutura do seu cérebro pode ser alterada negativamente diante de certos estímulos, também é completamente possível alterar positivamente estas estruturas. Nosso cérebro é o grande impulsionador de qualquer mudança, portanto é essencial que as estratégias neurais sejam alteradas para que nosso padrão cerebral nos leve à nossas melhores possibilidades.
Aumentar a produção de proteínas que trarão bom humor é o maior antídoto pra o mau humor. Requer bons pensamentos e boas doses de risada, que só temos quando encaramos a vida com leveza e definimos o que realmente desejamos.
Dentro da Programação Neurolinguística tanto em atendimentos psicoterápicos como em cursos, o comportamento de mau humor é considerado fruto de um aprendizado desenvolvido em algum ou alguns momentos pelo cérebro como a melhor resposta para um determinado tipo de situação.
Todos nós temos a capacidade de aprender uma nova atitude e utilizá-la com frequência até que se torne um novo padrão que produza proteínas de melhor qualidade.
Aproveite para refletir sobre estratégias mentais das pessoas que tem bom humor:
• Clareza sobre seus desejos, sabendo o que quer e aonde se quer chegar, reconhecendo a realidade em qual está inserido.
• Se responsabilizar diante de suas atitudes, afinal você é a única pessoa que responde por sua vida, considerando a  consciência e condições de responder pelos seus atos.
• Ter a capacidade de rir das suas próprias ações, quando estiver longe do que gostaria e ser flexível.
• Saber colocar seus limites e ter disponibilidade para negociar quando o objetivo em comum precisar de ajustes. Ter consciência de que seus objetivos e da outra parte tem um ponto ou vários em comum, e que isto será alinhado.
• Saber valorizar a si mesmo e os demais.
• Acreditar que tudo passa, tudo pode ficar bem, basta compreender as informações que estão presentes na situação e agir.
Caso você deseje ter mais dados de como tornar seu cérebro atuante para produzir bom humor entre em contato com o Instituto de Thalentos.
Estava lendo uma matéria de capa da “Isto É” que fala de como livrar-se do mau humor.

Os efeitos do mau humor a curto, médio e longo prazo são bastante nocivos, por isto, vale a pena ter sempre a capacidade de manter o bom humor. Invariavelmente temos muitos estímulos para manter o bom humor quando podemos mudar nossa forma de pensar.

Uma colocação valiosa na matéria diz que admitir o mau humor para modificar o comportamento é importante, e saber o que se quer sempre será um auxílio, principalmente quando pensamos em mudar a forma de pensar e consequentemente transformamos nosso cérebro.

O mau humor traz impactos ao nosso sistema neurológico que podem limitar nossas atividades cotidianas. Entenda situações estruturais que são alteradas quando você está de mau humor:• Quando seu organismo recebe algum sinal que considera uma “ameaça” ao seu bem estar, é acionada a amígdala que pode comprometer  o bem estar e a segurança para lidar com o imprevisível.• É estimulada estrutura que faz a ligação entre o sistema nervoso e o sistema endocrinológico (hipotálamo), o que pode disparar a fabricação de hormônios como adrenalina e cortisol, aumentando o grau de estresse e deixando seu organismo em estado de alerta, fazendo com que danos sejam causados.Diante destas reações, nosso cérebro trabalha de forma a limitar reações positivas diante de situações que poderiam ser produtivas. É considerável ter em mente que se a estrutura do seu cérebro pode ser alterada negativamente diante de certos estímulos, também é completamente possível alterar positivamente estas estruturas. Nosso cérebro é o grande impulsionador de qualquer mudança, portanto é essencial que as estratégias neurais sejam alteradas para que nosso padrão cerebral nos leve à nossas melhores possibilidades.

Aumentar a produção de proteínas que trarão bom humor é o maior antídoto pra o mau humor. Requer bons pensamentos e boas doses de risada, que só temos quando encaramos a vida com leveza e definimos o que realmente desejamos.

Dentro da Programação Neurolinguística tanto em atendimentos psicoterápicos como em cursos, o comportamento de mau humor é considerado fruto de um aprendizado desenvolvido em algum ou alguns momentos pelo cérebro como a melhor resposta para um determinado tipo de situação.

Todos nós temos a capacidade de aprender uma nova atitude e utilizá-la com frequência até que se torne um novo padrão que produza proteínas de melhor qualidade.

Aproveite para refletir sobre estratégias mentais das pessoas que tem bom humor:

• Clareza sobre seus desejos, sabendo o que quer e aonde se quer chegar, reconhecendo a realidade em qual está inserido.

• Se responsabilizar diante de suas atitudes, afinal você é a única pessoa que responde por sua vida, considerando a  consciência e condições de responder pelos seus atos.

• Ter a capacidade de rir das suas próprias ações, quando estiver longe do que gostaria e ser flexível.

• Saber colocar seus limites e ter disponibilidade para negociar quando o objetivo em comum precisar de ajustes. Ter consciência de que seus objetivos e da outra parte tem um ponto ou vários em comum, e que isto será alinhado.

• Saber valorizar a si mesmo e os demais.

• Acreditar que tudo passa, tudo pode ficar bem, basta compreender as informações que estão presentes na situação e agir.

Caso você deseje ter mais dados de como tornar seu cérebro atuante para produzir bom humor entre em contato com o Instituto de Thalentos.

Sobre a Autora:

Dra. Márcia Dolores Resende, formada em psicologia e com formação completa em PNL (NLP Health Certification Training), Hipnose Ericksoniana e EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), sendo treinada por profissionais que possuem uma grande experiência e um conceituado trabalho como: Robert Dilts, Suzi Smith, Tim Halbom, Steve Andreas, Teresa Robles e Dr. Stephen Gilligan.

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso

Depoimentos dos Visitantes