"Para que um grande sonho se torne realidade, você precisa primeiro de um grande sonho." Hans Seyle

Desapego: Uma Competência Valiosa!

Quanto mais me deparo com os movimentos da vida, tanto no contexto corporativo, quanto nos cenários da vida pessoal, descubro que uma pessoa bem sucedida possui uma competência que, ainda temos poucas formas de identificar. A habilidade de desapegar-se, de saber identificar o momento de sair da situação com dignidade e lealdade a si mesmo.
Talvez mais importante do que ter a determinação, é saber a hora de se utilizar dela para sair de uma situação, de uma função, de um impasse, de um conflito de uma vida!
Existe uma cultura que valoriza o apego, como se as experiências na vida fossem eternas, esquecemos que existem ciclos com começo, meio e renovação.
Na vida profissional há um treino ao apego, começando pelo sobrenome que é assumido... “João da empresa.....”. Depois, todos os ganhos com o sobrenome, status, local, mesa, cadeira, serviços, mimos, pessoas e a ilusão de eternidade.
Na vida pessoal também criamos mecanismos de apego, como se o controle de todas as situações estivessem em nossas mãos; apego a locais, pessoas, status, condições construídas e vividas.
Ás vezes as situações nos limitam, geram cegueira e falta de perspectivas, no entanto, o apego exclui a possibilidade de mudança. Todo apego paralisa a mais sutil mudança!
O mais nocivo ponto do apego é quando acredita-se que o que é vivido, ou conquistado, tem o mesmo significado do que se é como pessoa! A ilusão de misturar sua identidade com as suas conquistas, as pessoas que estão na sua vida, os status de uma situação… é altamente limitador para a sua capacidade de SER!
Quando há confusão nesse sentido, há insegurança em perder-se ou apegar-se demasiadamente ao que você acredita ter, e esse é o primeiro passo para dependência de uma situação, de relações, e de ambientes que as vezes nos geram mais dissabores do que prazer.
Quando uma pessoa está em uma empresa, acreditando que seu valor como ser humano está intimamente ligado ao que faz, existe uma grande possibilidade de em algum momento viver o “vazio” da descoberta, de que aquele lugar pode ser transitório em sua vida. Seu valor é constante! Então, quanto mais o auto valor estiver conectado ao que é possível SER, maior é a liberdade para transformar-se e ser feliz!
Quando uma pessoa mantém uma situação em sua vida pessoal, para garantir o poder de controlar uma situação, ou por temer uma mudança, está reduzindo sua beleza de SER, pois a vida é dinâmica, e existe algo que as escolas e as famílias esquecem de informar: que a imprevisibilidade é algo real na vida de todo ser humano!
O sentir, o ser e os seus valores, são partes do seu SER, e te acompanham em todo e qualquer lugar e experiência!
Agora, o controle de uma situação, das pessoas e de seus sentimentos e atitudes, dos momentos que foram vividos... Isso tudo, pode ser uma armadilha para o apego.... E ás vezes, para ausência de felicidade!
O desapego pressupõe a segurança de que o que foi vivido tem sentido para o SER, e o que está por vir, pode ser interessante para o SER.... Que o que faz parte do SER é constante, e está ao mesmo tempo, em constante evolução, e certamente é o maior e melhor patrimônio que podemos ter!
Quando falo aqui do desapego, é importante diferenciar a visão de desapego que muitas pessoas têm de “pobreza material, resignação com sofrimento, ou de negar as questões mundanas”; aqui minha proposta de desapego está ligada intimamente ao movimento da vida e ao ciclo das experiências, processos, relações pessoais e profissionais.
Desapegar-se do apego ao sofrimento, ás vezes insistimos em uma situação que mostra claramente pouco espaço para prosperar!
Desapegar-se do apego ao passado, ao que já foi legal e agora deixou de ser, de uma época ou de pessoas..... Viver o desapego é viver a liberdade de poder escolher o que faz bem! Esse é o desapego que aqui vale como competência saudável!
Essa competência do desapego faria com que as pessoas agissem de forma mais leve, e que a vida tivesse um sentido maior!
Que tal refletir sobre como e onde você já pode treinar o desapego, e descobrir novas possibilidades?! Pois quando abrimos espaço, novas surpresas e pessoas podem entrar em nossas vidas!
Para desenvolver suas competências saiba mais através do site: www.institutodethalentos.com.br ou nos telefones (11) 3284-4446 / (11) 3262-5272.
Quanto mais me deparo com os movimentos da vida, tanto no contexto corporativo, quanto nos cenários da vida pessoal, descubro que uma pessoa bem sucedida possui uma competência que, ainda temos poucas formas de identificar. A habilidade de desapegar-se, de saber identificar o momento de sair da situação com dignidade e lealdade a si mesmo.

Talvez mais importante do que ter a determinação, é saber a hora de se utilizar dela para sair de uma situação, de uma função, de um impasse, de um conflito de uma vida!

Existe uma cultura que valoriza o apego, como se as experiências na vida fossem eternas, esquecemos que existem ciclos com começo, meio e renovação.

Na vida profissional há um treino ao apego, começando pelo sobrenome que é assumido... “João da empresa.....”. Depois, todos os ganhos com o sobrenome, status, local, mesa, cadeira, serviços, mimos, pessoas e a ilusão de eternidade.

Na vida pessoal também criamos mecanismos de apego, como se o controle de todas as situações estivessem em nossas mãos; apego a locais, pessoas, status, condições construídas e vividas.

Ás vezes as situações nos limitam, geram cegueira e falta de perspectivas, no entanto, o apego exclui a possibilidade de mudança. Todo apego paralisa a mais sutil mudança!

O mais nocivo ponto do apego é quando acredita-se que o que é vivido, ou conquistado, tem o mesmo significado do que se é como pessoa! A ilusão de misturar sua identidade com as suas conquistas, as pessoas que estão na sua vida, os status de uma situação… é altamente limitador para a sua capacidade de SER!

Quando há confusão nesse sentido, há insegurança em perder-se ou apegar-se demasiadamente ao que você acredita ter, e esse é o primeiro passo para dependência de uma situação, de relações, e de ambientes que as vezes nos geram mais dissabores do que prazer.

Quando uma pessoa está em uma empresa, acreditando que seu valor como ser humano está intimamente ligado ao que faz, existe uma grande possibilidade de em algum momento viver o “vazio” da descoberta, de que aquele lugar pode ser transitório em sua vida. Seu valor é constante! Então, quanto mais o auto valor estiver conectado ao que é possível SER, maior é a liberdade para transformar-se e ser feliz!

Quando uma pessoa mantém uma situação em sua vida pessoal, para garantir o poder de controlar uma situação, ou por temer uma mudança, está reduzindo sua beleza de SER, pois a vida é dinâmica, e existe algo que as escolas e as famílias esquecem de informar: que a imprevisibilidade é algo real na vida de todo ser humano!

O sentir, o ser e os seus valores, são partes do seu SER, e te acompanham em todo e qualquer lugar e experiência!

Agora, o controle de uma situação, das pessoas e de seus sentimentos e atitudes, dos momentos que foram vividos... Isso tudo, pode ser uma armadilha para o apego.... E ás vezes, para ausência de felicidade!

O desapego pressupõe a segurança de que o que foi vivido tem sentido para o SER, e o que está por vir, pode ser interessante para o SER.... Que o que faz parte do SER é constante, e está ao mesmo tempo, em constante evolução, e certamente é o maior e melhor patrimônio que podemos ter!

Quando falo aqui do desapego, é importante diferenciar a visão de desapego que muitas pessoas têm de “pobreza material, resignação com sofrimento, ou de negar as questões mundanas”; aqui minha proposta de desapego está ligada intimamente ao movimento da vida e ao ciclo das experiências, processos, relações pessoais e profissionais. Desapegar-se do apego ao sofrimento, ás vezes insistimos em uma situação que mostra claramente pouco espaço para prosperar!Desapegar-se do apego ao passado, ao que já foi legal e agora deixou de ser, de uma época ou de pessoas..... Viver o desapego é viver a liberdade de poder escolher o que faz bem! Esse é o desapego que aqui vale como competência saudável!

Essa competência do desapego faria com que as pessoas agissem de forma mais leve, e que a vida tivesse um sentido maior!

Que tal refletir sobre como e onde você já pode treinar o desapego, e descobrir novas possibilidades?! Pois quando abrimos espaço, novas surpresas e pessoas podem entrar em nossas vidas!
Para desenvolver suas competências saiba mais através do site: www.institutodethalentos.com.br ou nos telefones (11) 3284-4446 / (11) 3262-5272.

Sobre a Autora:

Dra. Márcia Dolores Resende, formada em psicologia e com formação completa em PNL (NLP Health Certification Training), Hipnose Ericksoniana e EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), sendo treinada por profissionais que possuem uma grande experiência e um conceituado trabalho como: Robert Dilts, Suzi Smith, Tim Halbom, Steve Andreas, Teresa Robles e Dr. Stephen Gilligan.

 
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Congresso PNL 2017

banner-congresso