"Muitas vezes nossa maneira de justificar um erro agrava o erro." Shakespeare

Como Você lida com os Feedbacks?

Imagine a seguinte situação: Você acabou de sair de uma reunião com seu gestor, líder, chefe, como queira... E o tema principal do encontro foi a evidenciação de suas próprias falhas e limitações. Ou seja, seu líder manifestou de forma clara e direta seus pontos fracos como profissional e até mesmo como pessoa, e fez duras críticas a respeito do seu comportamento. Sinceramente, qual seria sua reação no exato instante em que terminasse a tal reunião:

• Você ficaria profundamente magoado, retraído e destilaria seu mau humor em todas as pessoas com quem encontrasse a partir de então?

• Você ficaria muito magoado e destilaria seu mau humor contra seu gestor, mas não diretamente a ele?

• Você retornaria a sala de seu chefe e argumentaria com força que não concorda com as colocações e rebateria o que foi dito veementemente?

• Você se retiraria do ambiente de trabalho profundamente triste, sofrendo emocionalmente e buscaria um lugar seguro para expressar essas emoções?

• Você se abateria a tal ponto de pensar em mudar de trabalho e/ou empresa?

• Você se sentiria a pior das criaturas e seria acometido por um estado emocional de autopiedade?

• Você guardaria tudo com você e faria seu desabafo em casa, com seus familiares?

• Você dedicaria as próximas horas para uma profunda reflexão no sentido de verificar o que levou seu líder a manifestar tais opiniões, buscando aprender ao máximo?

• Você faria uma análise profunda do seu próprio comportamento tentando identificar o que de fato procede na argumentação de seu gestor, e buscaria uma mudança imediata em suas atitudes?

• Você retornaria ao seu líder e, humildemente, solicitaria ajuda no sentido de vencer suas limitações?

Para que possamos entender e empreender um comportamento interessante aos feedbacks, necessitamos  compreender o que é FEEDBACK.

Feedback é retorno. É provimento de informações à uma pessoa sobre seu desempenho, conduta, atitudes, resultados gerados, comportamentos, enfim... É opinião emitida a partir da percepção de pessoas sobre o que e como somos. Evidentemente que há feedbacks que significamos como positivos, e outros que significamos como negativos.

Por sermos criaturas essencialmente emocionais, normalmente significamos as críticas (retorno sobre nossas limitações) como feedbacks extremamente negativos. Mas acredite, não são.

No processo de desenvolvimento das competências interpessoais o feedback é um importante recurso porque permite que nos vejamos como somos vistos pelos outros. É ainda, uma atividade executada com a finalidade de maximizar o desempenho de um indivíduo ou de um grupo. Portanto, os feedbacks são GRANDES OPORTUNIDADES de crescimento e evolução, tanto pessoal, quanto profissional. E quando sabemos lidar de forma madura e racional com eles, aprendemos muito e, consequentemente evoluímos.

O que fazer para lidar de forma adequada com os feedbacks que recebemos?  Como conter o ímpeto emocional do momento em que por exemplo somos criticados? Qual seria a postura mais interessante de uma pessoa diante da experiência de receber um feedback sobre suas próprias limitações? Perceba, são perguntas intrigantes, que merecem respostas instigantes.

Como especialista em gestão de pessoas e pesquisador do comportamento humano, tenho dedicado boa parte de minha vida a buscar modelos que otimizem os relacionamentos em seus mais variados contextos: família, escola, empresa, sociedade... A seguir, quero dividir com você algumas dicas, bastante úteis, para que sua habilidade em receber e lidar com os feedbacks possa aumentar sensivelmente. Vamos a elas:

• Primeiramente, entenda que feedbacks são opiniões. E opiniões são a expressão física das percepções neurológicas dos indivíduos. Isto quer dizer que, essencialmente, o feedback é uma manifestação do que a pessoa pensa ou sente a respeito de algo ou alguém;

• É importante ainda compreender que todas as pessoas têm opiniões, e que podem manifestá-las a qualquer momento, principalmente se ocupam posições sociais de maior responsabilidade. De fato, os líderes possuem o direito de manifestar suas opiniões. Aliás, se espera que façam isto no desempenho de suas atribuições de liderança;

• A notícia boa é que há uma larga distância entre uma opinião e a “realidade”. Por mais evidenciada que possa ser a opinião de alguém, ainda assim, trata-se apenas do mapa de uma pessoa acerca de determinada experiência;

• Portanto, tenha em mente: Quando alguém lhe dá um feedback, está apenas manifestando sua opinião. Não se trata da realidade, mas sim da percepção que a pessoa formou sobre ela;

• Esta consciência nos traz alívio emocional, pois é consolador saber que existe uma enorme distância entre o que as pessoas pensam sobre as coisas, e o que elas realmente são;

• Quando for convidado para uma reunião, ou mesmo uma conversa de feedbacks, prepare-se psicologicamente para ela. Uma boa maneira de fazer isto é proporcionar ao seu corpo e mente um breve momento de distensão. Distensão quer dizer ausência de tensão, ou seja, estar relaxado e sereno. Quando estamos tensos, maculamos nossas percepções e boicotamos as possibilidade de inferir racionalmente sobre o que recebemos. Quando estamos em distensão, liberamos em nosso organismo substâncias como endorfina, serotonina, ou seja, química boa.

• Durante o encontro, mantenha em foco mental a percepção de que o que você está recebendo do outro são apenas opiniões, nada mais. Este comportamento o ajudará a administrar melhor suas próprias reações emocionais;

• Faça verificações se essas opiniões fundamentam-se em evidências ou apenas em percepções;

• Se você notar que a outra pessoa apresenta evidências que fundamentam o feedback, liberte-se de suas emoções, amplie sua percepção e aproveite para aprender ao máximo. Acredite, será uma grande experiência;

• Todavia, se são apenas percepções pessoais, que não encontram embasamento em evidências, relaxe... e lembre-se: Todos têm opiniões, e o direito de manifestá-las. Se vamos absorvê-las ou não, depende exclusivamente de nós;

• Durante a expressão do feedback, mantenha constantemente em sua tela mental a seguinte pergunta: O que eu posso aprender com isto? Seu sistema nervoso fará o resto por você;

• Após a experiência de receber o feedback, permita-se momentos de reflexão. Filtre a opinião, veja o que lhe serve, delete o que não é útil, e inspire-se para mudar se isto for necessário;

• Finalmente, agradeça! Pois, se a outra pessoa lhe deu feedback, isto é uma grande evidência de que você ainda é importante para ela.

Acima de tudo, saber lidar com feedbacks depende da maturidade emocional de uma pessoa. Quanto mais inteligente alguém for do ponto de vista de suas emoções, mais e melhor saberá lidar com as opiniões alheias sobre si próprio.

Pense sobre isto!

Sobre o Autor:

gersonGérson Rodrigues

Bacharel em Ciências Contábeis; Administrador de Empresas; Pós-graduado em marketing de relacionamento; MBA em Gestão de Negócios pela UFRJ; especialista em gestão de pessoas; Master Practitioner e Trainer em PNL, Coach; Consultor de empresas; Escritor; Autor do livro: Atendimento Nota 1000 , o que fazer para encantar e fidelizar clientes; Co-autor do livro: Ser Mais Líder; Diretor de Desenvolvimento da Soluttio Soluções em Gestão de Pessoas.

Referência: Soluttio Treinamento e Assessoria Empresarial

Comentários   

0 #1 gildazio 21-12-2010 20:50
Gerson.....muit o boa a sua intepretacao e esclaresce muitos aspectos e situacoes de nossas vidas. Nos possibilita mais perspectivas na forma de absorver as opinioes das pessoas. Execelente.
Citar

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Metáforum

metaforum2016