"As coisas mais difíceis de se ver são as que estão debaixo de nossos olhos." V. G. Rossi

Como lidar com a pressão no trabalho

No mundo dos negócios, está cada vez mais comum os colaboradores e gestores experimentarem pressão. Quando a pressão ultrapassa o cansaço, a irritabilidade e tensão são sintomas que acarretam sérias conseqüências. Apesar das causas serem múltiplas, sabe-se que o principal motivo de pressão é causado por desgastantes nas relações. O resultado disso é saúde precária e alto nível de estresse. E o estresse não discrimina sexo, idade, nem profissão e, por isso, não é exclusividade de presidentes de multinacionais, podendo afetar gravemente pessoas de diferentes ofícios. Cabe a nós, aprendermos a gerenciar na turbulência, criando formas para manter o equilíbrio, colocando uma pitada maior de amor e calma, harmonizando o ambiente organizacional. Segundo Ken O’Donnell, consultor e escritor australiano, existem três pilares para lidar com pressão: autoconhecimento, compreensão, reflexão.

1) Autoconhecimento é que leva ä autoconsciência.  A autoconsciência começa com um forte senso de responsabilidade baseado no conhecimento de si mesmo e na aceitação do eu. Só a partir dessa auto-aceitação se torna possível gerenciar o clima de turbulência e pressão. A compreensão de nós mesmos exige um auto-exame que nos leva a conhecer nossas forças e fraquezas, e perceber que a nossa forma de pensar tem um efeito direto no nosso sistema nervoso, interferindo na nossa saúde e refletindo diretamente no ambiente através de nossas ações. Segundo a ciência que estuda a excelência do comportamento humano, Programação Neurolinguistica –PNL, dependendo da forma de pensar e agir causamos leveza ou pressão no nosso organismo e no ambiente, facilitando ou não as relações. Uma pergunta que pode provocar autoconsciência é: O que a sua o forma de pensar faz com você?

2) Compreensão é a predisposição para aceitar e respeitar opiniões ou comportamentos alheios.  Para desenvolver essa habilidade, a PNL criou uma ferramenta chamada mudança de posição perceptiva, que é extremamente útil para desenvolver o espírito de compreensão e flexibilidade. Significa aprender a se colocar no lugar do outro. Para isso é necessário abrir mão das convicções e nos colocar na pele do outro, compreendendo seu modelo de mundo de forma de ser. Quando não aprendemos a mudar de posição perceptiva, nosso nível de estresse aumenta e passamos a impor nosso ponto de vista com atitudes rígidas e autoritárias. Querer que o outro tenha a  mesma percepção de mundo que nós temos,  é querer que ele enxergue o mundo através de nossas lentes e sabemos que isso é impossível. Nem sempre nossos óculos permitem ao outro a  visão nítida e clara que temos. Então a gente aprende que em alguns contextos “é melhor ser feliz do que ter razão”.

3) Reflexão - Como permanecer calmo em meio à pressão?  Ë necessário aprender a parar em meio a turbulência e, dissociar por alguns segundos, respirar profundamente e assistir a cena como se estivesse num cinema, de forma distanciada. Colocar atenção na respiração e perceber o relógio da vida pulsando dentro do peito. Assim, o padrão de pensamentos é interrompido e a pressão tende a diluir, liberando energia e transformando emoções desagradáveis em um leve fluir.

Para lidar com a pressão externa é importante aprender a colocar o foco de atenção na nossa força interna e o  caminho  simples é através da respiração. Apenas o respirar profunda e conscientemente, centrar a atenção na entrada e saída do ar, pode aliviar a pressão que machuca e maltrata o corpo. Nesse mergulhar pra dentro, a percepção é ampliada e o cérebro entra numa nova freqüência que favorece a saúde e o equilíbrio. Da mesma forma que o corpo precisa  dormir e relaxar, o computador precisa de descansar  e acessar a tela azul, a mente necessita de relaxar, esvaziar  para que a  criatividade possa ser acessada.

Há um grande movimento na Europa hoje, chamado Slow Food, cujo símbolo é um caracol e tem sua base na Itália. O Slow Food prega que as pessoas devem desacelerar, comer e beber devagar, saboreando os alimentos, curtindo seu preparo, sem pressa e com qualidade. Todos temos 24 horas por dia. A diferença é o que cada um faz do seu tempo. Aprender aproveitar cada momento, pois, A vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro, já dizia  John Lennon.

Autor(a):

IMG 1448 Luiza Lopes é educadora, consultora de empresas e especialista em Programação Neurolinguística.



Referencia: Indesp - Instituto de Desenvolvimento Pessoal

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Anúncios Google

IBC

banner-descubra-pnl-v3 ibc

Thalentos

thalentos 2014

Ideah

Instituto Ideah

Metáforum

metaforum2016